Peelings químicos faciais e corporais. Saiba mais sobre eles

Peelings químicos faciais e corporais. Saiba mais sobre eles

Chamamos de peelings químicos aqueles feitos com substâncias que agem nas camadas da pele, causando sua descamação. Com a regeneração e a renovação, a aparência da região tratada se torna melhor.

Esta técnica geralmente utiliza agentes como fenol, ácidos tricloroacéticos, salicílico ou retinóico ou um composto de solução de Jessner e ácido glicólico.

Quais são os tipos de peelings químicos?

Os peelings podem ser classificados em superficial, médio e profundo, dependendo da camada de pele a ser tratada, do objetivo e da substância utilizada.

O primeiro costuma ser realizado em série e possui uma descamação mais suave. O médio e o profundo possuem aplicações únicas e provocam a formação de crostas na pele. Para definir qual tipo é o mais adequado ao seu caso, procure um dermatologista. O profissional qualificado irá avaliar seu caso, indicar o melhor tratamento e adequar suas expectativas em relação ao resultado.

Quais são os benefícios do peelings químicos?

O peeling químico superficial age na camada mais externa da pele, a epiderme, removendo-a. Este procedimento é indicado para o clareamento de manchas e tratamento de rugas e linhas de expressão mais sutis.

O médio pode atingir derme superficial e média, clareando manchas e atuando também sobre marcas de acnes superficiais. Este procedimento pode levar à formação de crostas na pele durante a recuperação.

O peeling químico profundo, por sua vez, atinge geralmente derme média e profunda. Ele causa a formação de crostas mais intensas e seus cuidados exigem mais dedicação do paciente. Este é um procedimento indicado para o tratamento de rugas e cicatrizes mais profundas.

O peeling químico facial é aplicado no rosto e ajuda a reduzir a flacidez e o envelhecimento do local tratado. O peeling químico corporal pode ser aplicado em regiões como pescoço, mãos, dorso e nádegas. De maneira geral, o peeling químico confere uma textura mais lisa à pele, além de uma coloração mais homogênea. Ele também ajuda a reduzir a oleosidade, previne o surgimento de espinhas e melhora a aparência de estrias e vasinhos.

O que esperar após o procedimento?

O período de recuperação varia de acordo com o tratamento realizado. Após a realização de um peeling químico superficial, a pele se recompõe em um intervalo de um a quatro dias. Aplicações médias e profundas requerem mais tempo de recuperação: de 24 horas a até 15 dias.

O paciente deve preservar a pele, evitando manipulá-la e evitar a exposição ao sol. Também é indicado o uso de protetor solar não só após o procedimento, mas criar o hábito de utilizá-lo. É importante comparecer às consultas marcadas após o tratamento, de modo a manter o aconselhamento médico.

Há contraindicações?

O peeling químico não deve ser realizado em gestantes ou se houver feridas na região a ser tratada. Também não é indicado em momentos de estresse físico ou mental. Consulte seu médico de confiança e saiba se este método é indicado para o seu caso.