Melanoma: como fazer um diagnóstico precoce

Melanoma: como fazer um diagnóstico precoce

As primeiras indicações para o diagnóstico precoce do câncer da pele envolvem consultas anuais ao dermatologista e o autoexame. O último consiste na observação da própria pele a fim de verificar o surgimento de manchas ou sinais suspeitos. A investigação deve ter o auxílio de espelhos e abranger a maior área de pele possível, da cabeça às solas dos pés.
Qualquer observação de alteração nos sinais, pintas e manchas deve levar à procura de acompanhamento médico.

Quais os métodos de avaliação utilizados pelos dermatologistas?
O dermatologista pode utilizar diversos métodos para o diagnóstico precoce e correto, como exame clínico, dermatoscopia e mapeamento fotográfico e dermatoscópico. Durante as consultas de rotina, o médico realiza o exame clínico, no qual examina e avalia atentamente a pele do paciente. Aliado a este método, o dermatologista pode utilizar uma técnica conhecida como dermatoscopia. Também chamada microscopia de superfície, o procedimento proporciona a avaliação em tempo real de estruturas que não são vistas a olho nu. Esse artifício avalia manchas e sinais na pele através de uma lente especial, chamada dermatoscópio. Em alguns casos é necessária a aplicação de uma camada de óleo para facilitar a visualização da área analisada.

O paciente que se submete ao mapeamento corporal tem o corpo totalmentedocumentado por fotografias, de alta resolução, em posições pré-determinadas. As imagens são armazenadas em um software a fim de realizar futuras comparações e permitir o acompanhamento da evolução das manchas.

Quais são as vantagens da dermatoscopia e do mapeamento?
Essas técnicas dispensam, de forma segura e precisa, intervenções desnecessárias.
Diferentemente da biópsia, não são invasivas e têm se mostrado muito importantes no diagnóstico precoce da doença. O fato de permitirem a análise no próprio consultório e possibilitarem o acompanhamento de imagens reforça seu valor. A realização regular destes exames é especialmente relevante para pacientes que já tiveram melanoma ou tenham histórico familiar de câncer de pele.

Em conjunto, o mapeamento fotográfico e dermatoscópico e a dermatoscopia digital permitem a análise do melanoma em fases iniciais de evolução e infiltração. Por se tratarem de exames complementares, eles intermedeiam o exame clínico e o histopatológico.

Este último envolve a biópsia e a análise ao microscópio do material extraído, visando confirmar ou negar hipóteses diagnósticas.

A importância do diagnóstico precoce
É importante frisar que, quanto antes o paciente receber o diagnóstico do melanoma, maiores suas chances de cura. Isso ocorre devido ao fato de o câncer de pele se desenvolver, inicialmente, para os lados, na camada mais externa da pele. Caso o melanoma alcance a camada mais profunda da pele, chamada derme, ele pode entrar na corrente sanguínea, afetando outros órgãos.

A correta avaliação de pintas e manchas na pele possibilita o direcionamento para o tratamento mais adequado a cada caso. O método será indicado pelo dermatologista de acordo com o estágio da doença, idade e saúde geral do paciente. De maneira genérica, as formas de tratamento podem envolver cirurgias, imunoterapia, quimioterapia, radioterapia e a combinação destes processos.

 

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.